Sexta, 19 de julho de 2024, responsável técnico Renyere Trovão Soares DRT-PR 3499

Telefone: (66) 9256-9631 | E-mail: contato@regiaoleste.com.br

Líder do Podemos "convida" deputado de MT a deixar o partido

11/11/2021

Alvaro Dias diz que se José Medeiros quiser continuar, deverá apoiar candidatura de Sérgio Moro

Principal líder do Podemos no País, o senador Alvaro Dias (PR) afirmou que a sigla não vai liberar o deputado federal José Medeiros para apoiar a reeleição do presidente Jair Bolsonaro, que irá se filiar ao PL. Isso porque a sigla filiou nesta semana o ex-juiz federal Sérgio Moro, visando uma candidatura à presidência da República em 2022. Antes disso, Medeiros chegou a afirmar que pediria autorização para apoiar Bolsonaro no próximo pleito ou analisaria a troca de partido. À Rádio Capital FM, nesta quinta-feira (11), Dias afirmou que o Podemos não aceitará “traição”. “O deputado de Mato Grosso não compareceu à reunião da bancada com o Sérgio Moro, não compareceu ao evento [de filiação] e não há nenhuma autorização para deslealdade. No Podemos, não há autorização para traição”, afirmou. O senador afirmou que Medeiros está convidado a se retirar. Entretanto, não citou autorização para troca partidária antes da janela eleitoral de março de 2022, que permite a mudança sem que se incorra em infidelidade partidária. “Com toda tranquilidade e respeito às convicções pessoais, a porta da entrada é também a porta da saída. Se o projeto do Podemos não serve, se for por falta de adeus, até logo. É preciso ser feliz onde se encontra, se não é feliz onde está, por favor, se despeça. Faça esse favor”, disse. “Nós não vamos admitir comportamentos que não sejam o de lealdade. Vem aí a janela, no mês de março, que possibilita a troca de partidos dos parlamentares. Então, não há nenhuma razão para permanecer infeliz, insatisfeito. Vá defender a sua bandeira, onde desejar. Está liberado para carregar a sua bandeira”, acrescentou. Alvaro Dias afirmou que os que escolherem ficar no partido deverão apoiar a eventual candidatura de Moro. Em 2018, já havia um atrito entre o senador e Medeiros. Isso porque, o parlamentar mato-grossense apoiou a candidatura de Bolsonaro, em detrimento a de Dias, que também concorreu à presidência, mas acabou em nono lugar. “Aqui, no Podemos, há um projeto, um projeto de nação, temos responsabilidade. Quem se apaixonou pelo Bolsonaro, que siga sua paixão. Mas, há o lugar adequado para se exercitar essa paixão”, completou. Fonte: midianews

Anuncio

Grupo de notícia Politíca